quarta-feira, 4 de maio de 2016

Há casos em que a sucessão é efeito

Também há muitos casos em que a sucessão não é efeito e outros em que isso acontece com uma dada probabilidade. Resta saber métodos que comprovem ou rejeitam essa hipótese para uma dada situação.
Os casos em que a sucessão é efeito são inúmeros. O nosso mundo é composto por leis como acontece na física, na química e não só.
Cada ser humano tem a sua capacidade de previsão, que pode ser feita de inúmeras maneiras. Os computadores também têm uma capacidade de previsão, embora elaborada de maneira diferente dos humanos. Algumas delas nos seres humanos são com base numa sequência de acontecimentos sucessivos ao qual fazemos ligações, tal como os conceitos que aprendemos. A capacidade de fazer ligações entre os conceitos é uma forma de inteligência segundo muitos peritos.

A sabedoria popular diz que as ultimas noites do mês de Agosto no Algarve indicam se o Inverno vai ser muito chuvoso ou não. O que quero dizer com isto é que para algo acontecer tem já de haver alguma coisa que acontecesse antes nem que isso seja o seguinte. Sem calor a água não aquece. Se a água não aquece, então não evapora. Se a água não evapora, então não há nuvens. Se não há nuvens, então não chove. Então como deve ser essas tais noites para o inverno ser muito chuvoso no Algarve? Frias e húmidas, mas apesar de não deixar a curiosidade em branco, esta resposta não é a mais importante para a conclusão.

Então que dizer do Cristiano Ronaldo, que só precisa de analisar o chuto para saber para onde a bola vai e não precisa de olhar depois para a bola no ar para saber aonde vai.
Então os computadores? Já que é assim tão notório e verídico, há alguma estratégia AI, que explore este principio?
Há sim senhor!

O ms pacman é um exemplo onde o movimento dos fantasmas também pode ser previsto, embora seja difícil. A sucessão (posições actuais dos fantasmas, posições anteriores dos fantasmas, posição actual do pacman, posições anteriores do pacman) é efeito (próximas posições do fantasma a prever). Há um algoritmo que modela o comportamento em tempo real chamado RLS… Mais? Isso foi possível de concluir na tese “Uma arquitectura de subsunção com capacidades preditivas adaptativas para o Pacman”. O maior problema de tal estratégia para tentar apurar se a sucessão é efeito são as limitações do modelo linear usado (ou modelo ARX como foi referido).
Basta haver uma série de factores que condicionem o movimento do elemento a mover-se para ser possível modelar o seu comportamento ou basta os elementos terem um comportamento pré-definido, mesmo com uma componente aleatória. A componente aleatória vai determinar o erro. Quanto maior a componente aleatória, mais falível o método será. A dimensão do erro depende do jogo e depende da situação.
Outro problema é saber dar valor a quem descobre o que possa estar mal e reconhecer os problemas que isso resolve. Compreendo que possa ser confuso para a maioria das pessoas por ser uma noção difusa. Todas as noções difusas têm um tanto verdadeiro e um tanto falso e a noção de a sucessão ser efeito ou não, não é excepção. O professor doutor José Valente de Oliveira conhecia este método por ser da área de lógica difusa e a sua qualidade pode justificar o seu uso.

Sem comentários:

Publicar um comentário